Ritmo do desenvolvimento da infraestrutura de transporte não acompanha tecnologias disponíveis

0
157

O desenvolvimento da malha ferroviária é estratégico no contexto da economia brasileira, uma vez que o crescimento da produção interna e das exportações exige melhoria no cenário da logística de transportes. A solução de gargalos logísticos e novos investimentos em projetos de infraestrutura viabilizariam o ganho em competitividade e impactariam positivamente na redução de custos.

O diretor-executivo da Associação Nacional dos Transportes Ferroviários (ANTF), Fernando Paes, explica que o equilíbrio da matriz de transportes é essencial para um país continental e exportador de commodities minerais e agrícolas. Para Paes, o aumento da participação do modal ferroviário depende, de um lado, nos projetos “greenfield” anunciados pelo governo federal e, de outro, da prorrogação antecipada dos contratos de concessão.

“Considerando-se que os novos projetos trarão impactos positivos apenas de curto e médio prazos, os investimentos voltados ao aumento de capacidade da malha atual ganham importância chave para nossa economia. O crescimento e modernização do modal ferroviário é essencial para que o setor de transportes consiga alcançar e acompanhar, por exemplo, o dinamismo do agronegócio brasileiro”, afirma Paes.

O presidente da Greenbrier Maxion, Eduardo Scolari, concorda que as questões como as novas concessões e investimentos público-privados são fundamentais para o crescimento, não só do setor metroferroviário, mas para o País como um todo.

O executivo salienta, entretanto, que de nada adianta um marco regulatório seguro o suficiente para atrair o investimento interno e externo, se o setor não se modernizar na mesma velocidade. “Muitas vezes, o desenvolvimento da infraestrutura não acompanha as tecnologias empregadas, por exemplo, nos vagões de carga. Mas a indústria ferroviária de carga, principalmente a Greenbrier Maxion, vem trabalhando no desenvolvimento de soluções tecnológicas para agilizar no escoamento dos diversos tipos de carga. Exemplos desse aprimoramento são os vagões para transporte de contêiner e o sistema de carga e descarga automatizado”, afirma.

O ano de 2016 foi desafiador para as empresas do setor ferroviário com a redução do volume de carga transportado e com o postergamento da renovação e leilões de novas concessões.“A Greenbrier Maxion está sentindo os reflexos desta crise econômica. No entanto, vem consolidando sua nova marca no mercado”, diz o Scolari. Em novembro, a empresa participa do principal encontro do setor metroferroviário na América do Sul, a NT Expo – 19ª Negócios nos Trilhos, para reforçar o novo posicionamento da empresa, uma joint venture formada  entre Greenbrier, Amsted Rail e Iochpe-Maxion.

Está aberto o credenciamento de imprensa antecipado para a NT Expo – 19ª Negócios nos Trilhos, que este ano acontece entre 8 a 10 de novembro, Expo Center Norte em São Paulo. Para se credenciar basta enviar os seguintes dados para arucha@conteudoempresarial.com.br: Nome / CPF / Veículo / Cargo / Email / Telefone.

Conteúdo Empresarial – Comunicação Integrada – para o Blog Jair Sampaio

Tel: (13) 3304-7437 / 3304-7438 / (11) 3230-7434

www.conteudoempresarial.com.br

 

Deixe uma resposta