Em nota, Amazan confirma que não teve intensão de desrespeitar a Polícia Militar

0
466

Houve um mal-entendido. Quando cheguei próximo ao ginásio o capitão da PM teria mandado baixar o som do paredão que animava a festa, e eu achava que era por causa das aulas do CEFE, porque o vice=diretor da escola tinha passado uma mensagem pra mim pedindo para eu falar com a minha coordenação para baixar o som por causa das aulas. Quando cheguei no local e vi que as aulas tinham sido encerradas, eu disse que podiam aumentar o som. E aí o comando da PM que havia mandado baixar o som uns 10 minutos antes, ele ouviu o som alto e ele entendeu que tinha havido um desrespeito a ordem policial e ai conduziu o dono do paredão, o vereador Cássio, conversou e depois liberou. Eu até me ofereci para ir com Cássio na viatura da polícia, só pra esclarecer melhor as coisas, já que estávamos conversando no meio da rua, e o policial disse que eu fosse mesmo no meu carro, e chegando lá tudo foi esclarecido”.

Deixe uma resposta